Dia da Mulher: Nem Tudo São Flores
Igualdade

Dia da Mulher: Nem Tudo São Flores

Dia 8 de março é conhecido internacionalmente como o Dia da Mulher, data que virou sinônimo de parabéns, flores e chocolate para as mulheres. Contudo, nem tudo são celebrações. Na verdade, o propósito deste dia é nos lembrar da luta que as mulheres ainda enfrentam em nossa sociedade.

Infelizmente vivemos em uma cultura de desigualdade para com as pessoas atribuídas ao gênero feminino ou que se identificam como mulheres. Ao longo da história, mulheres foram oprimidas, abusadas, objetificadas e dominadas.

A sociedade patriarcal possui uma cultura cujas pessoas do sexo feminino são propriedades que devem ser passadas do pai para o marido e que esses podem tratá-las como bem entender. Hoje em dia, em parte do mundo essa noção está sendo refutada, mas ainda há muito a ser feito.

dia da mulher nem tudo são flores

A história da data remete a diversos acontecimentos de causas feministas, onde grupos de mulheres se uniram para reivindicar seus direitos. Veja aqui uma linha do tempo com a história desse dia.

Foi a partir de 1975 que o dia 8 de março foi reconhecido oficialmente como data para se lembrar dessa causa, devido a uma celebração da ONU (Organização das Nações Unidas).

Contudo, a data tem sido deturpada por noções consumistas. Um dia que deveria ser de reflexão virou um momento de presentear e festejar, comprar flores e chocolate e postar textos bonitos no Facebook.

Também é comum vermos pessoas questionando a necessidade de tal celebração, principalmente por não compreenderem a história do movimento. Mas afinal, por que essa data ainda é importante?

Por que ter um “dia da mulher”?

Só é necessário um pouco de bom senso para entender porque se fala em desigualdade. Até pouco tempo atrás, as mulheres eram impedidas de trabalhar, dirigir, votar e até mesmo sair de casa sem autorização do marido. Na verdade, isso ainda não mudou totalmente.

A mulher era vista unicamente como responsável pela casa e pela criação dos filhos. Hoje em dia, muitas vem conquistando espaço no mercado de trabalho. Contudo, poucas dividem as tarefas domésticas, de modo que existe uma dupla jornada: mulheres precisam trabalhar fora, chegar em casa e ainda ser responsável por limpar, organizar e cuidar dos filhos.

Isso constantemente deixa a mulher sobrecarregada, estressada e propensa a situações como a depressão pós parto – doença que acontece devido a mudanças hormonais do fim da gravidez e também devido a fatores sociais com a chegada da criança.

Segundo uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mulheres chegam a realizar 18h semanais de serviços não remunerados . São 73% mais horas do que os homens. Ainda assim, mulheres recebem 25% menos que os homens ao ocuparem os mesmos cargos.

Violência contra a mulher

Como se não bastasse, as informações a respeito da violência contra a mulher continuam sendo dados assustadores.

Segundo a pesquisa Visível e Invisível – A Vitimização de Mulheres no Brasil 2ª Edição realizada pelo Datafolha e Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2018 a cada 9 minutos uma mulher foi vítima de agressão no Brasil.

Infográfico disponível no site do Instituto Patrícia Galvão.

Além disso, temos a questão do feminicídio. Aos que acham absurdo ter esse nomenclatura para mulheres e não para homens, explico: feminicídio não é apenas quando uma mulher sofre homicídio, mas quando uma mulher é morta por ser mulher, devido à noção de que ela é um objeto ou propriedade.

Por exemplo, esses milhares de casos noticiados como “mulher morta após recusar sexo” (leia-se resistir a estupro) e “homem mata mulher e filhos por não aceitar fim de relacionamento”.

Quando levamos todos esses dados em conta, parece incoerente dedicarmos um dia para presentear mulheres com flores, chocolates ou ajudar nos serviços domésticos. O que mulheres precisam não é de um parabéns, mas uma sociedade que as respeitem o ano inteiro.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.